APOREB – Associação Portuguesa de Operadores para Bioenergias

APOREB – Associação Portuguesa de Operadores para Bioenergias é uma Associação sem fins lucrativos que agrega entidades privadas, singulares ou coletivas, que exerçam a atividade de gestão resíduos para Bioenergias.

A Associação iniciou atividade em 2019, com 11 empresas que representam mais de 50% de recolha e transformação de óleos alimentares usados e afins em biocombustíveis e outras bioenergias, com relevante importância para o desenvolvimento da economia circular.

Objetivos

  • Promover a recolha seletiva dos OAU mais eficiente e eficaz nos sectores HoReCa, Industrial e Doméstico e de outros resíduos que possam ser utilizados para promover a produção de bioenergias para a substituição de energias poluentes;

  • Promover a utilização dos óleos alimentares usados e afins, entre outros, no sector energético nacional, nomeadamente na indústria de biocombustíveis, bem como em outros processos tecnológicos existentes ou futuros sempre na ótica da sustentabilidade dos recursos naturais e da Estratégia da União Europeia Para as Alterações Climáticas;

  • Coordenar eventos relacionados com resíduos utilizados na produção de bioenergias a nível nacional e internacional;

  • Identificar outros elementos relevantes indiretamente relacionados com o setor das bioenergias e dos óleos alimentares usados e afins, que tenham ou venham a ter um impacto direto ou indireto sobre os seus associados;

  • Recolher, compilar e circular, entre os associados, informação sectorial relevante entre os seus membros (de natureza científica, económica e técnica, legislação e regulamentos, concursos a fundos nacionais e comunitários, eventos, etc.);

  • Informar e esclarecer entidades que possam desempenhar um papel relevante na organização e funcionamento do sector, bem como meios científicos e de investigação e o público em geral;

  • Promover a cooperação coletiva entre os seus associados e com associações suas congéneres no resto do mundo;

  • Representar coletivamente os associados, defendendo os seus interesses legítimos junto de quaisquer entidades nacionais e europeias, públicas ou privadas, e contribuir para a diminuição e simplificação dos procedimentos burocráticos associados à atividade. Defender os direitos constitucionalmente consagrados quantos às matérias respeitantes ao ambiente e saúde pública.